DJ Grazi Flores apresenta: Lacuna Tropical – O som da pandemia #7

Lacuna Tropical – laboratório de experiências de música eletrônica e discotecagem em toda a sua amplitude e pluralidade

 

O projeto >> O SOM DA PANDEMIA << objetiva criar uma ponte, através de entrevistas e bate-papos com DJs e protagonistas da cena, que permita uma conexão com essa vivência particular e individual dos artistas durante este peculiar, complexo e histórico momento da humanidade que é a pandemia. Como uma forma de registrar a diversidade de singulares experiências durante a pandemia, é traçada uma cronologia sobre a vida pré-pandemia, os resultados do início da mesma com a simultânea experiência coletiva da quarentena, novos hábitos criados, soluções no desenvolvimento dos projetos e carreiras, formas de se sustentar pelo trabalho e perspectivas do pós-pandemia.

Nesta edição, o papo foi com Dubstrong!! Conheça um pouco mais sobre este querido convidado entrevistado:

 

Com mais de 20 anos de carreira, Dubstrong não é DJ de um estilo só. Quem escolhe sua pista para dançar entra em uma viagem de rap, soul, funk, groove e bass, tudo amarrado por uma forte influência do dub e dancehall jamaicano. É um verdadeiro passeio tanto pelas últimas tendências da música de pista quanto pelas suas raízes, que Dubstrong faz questão de manter.

A discotecagem e sua boa entrada com o público levaram Dubstrong a ser referência precisa nos principais eventos do gênero no Brasil. Fato é que o DJ foi responsável por abrir apresentações de ícones fundamentais da música como Public Enemy, Snoop Doggy Dog, De La Soul, Massive Attack, DJ Shadow, Flying Lotus, Bomb The Bass, DJ Z Trip, DJ A-Trak, DJ Premier, Dam Funk, Kid Koala, o produtor Just Blaze, a dupla austriaca Kruder & Dormeister, os jamaicanos Mad Professor, U-Roy e Sean Paul. Fez o show de abertura para ‘THE WAILERS’ com o seu projeto ‘Echo Sound System’ no Credicard Hall em SP.

Seu estilo eclético e particular foi reconhecido em 2002 e 2003, quando foi indicado ao Prêmio Noite Ilustrada (do jornal ”Folha de S.Paulo’) como melhor DJ de Black Music & Beats. No ano de 2005 foi eleito ‘DJ do Ano’ por indicação de juri especializado do ‘Guia da Folha’, em 2009 indicado a ‘melhor DJ do Brasil’ em premiacão da DJ Mag Brasil.

Nos anos de 2010 e 2013 foi o vencedor da etapa de São Paulo do ‘Red Bull Thre3Style’, tradicional campeonato de DJs focado na técnica e mistura de estilos musicais. Em 2014 Dubstrong embarcou numa série de apresentações nos EUA onde tocou em conceituadas festas da cena em Los Angeles e San Francisco, como ‘Low End Theory’ e ‘Motown On Mondays’. 2018 foi o ano que Dubstrong fez turne pelo Japão, se apresentando em cidades como Tokyo, Osaka e Kobe, levando um set de musica brasileira e influencias para um publico altamente especializado.

Residente do conceituado projeto ‘CHOCOLATE’ desde 2002, Dubstrong se junta aos amigos Zegon, Nuts, Primo (r.i.p.) e King para levar ao público um hip hop de qualidade e receber em suas festas estrelados nomes internacionais como Cut Chemist, Madlib, Wildchild, DJ Roc Raida, os Beat Junkies J.Rocc, Babu e Shortkut, DJ Nu-Mark (Jurassic 5), DJ Revolution, Mayer Hawthorne, DJ Maseo (De La Soul), DJ Neil Armstrong (Jay-Z), J-Live, Boogie Blind, DJ Day, Rich Medina, The Alchemist, Andy Smith (Portishead), DJ Green Lantern (Eminem), Mista Sinista (X-Ecutioners), entre outros.
Dubstrong tambem foi residente dos projetos ‘On The Rocks’ no clube D.Edge, onde toca rock, new wave e old school em sets disputados e ‘Groovelicious’ festa de funk, soul & grooves no Lions Club no centro de Sao Paulo.

Mas Dubstrong não se contenta em ser só DJ. Em 2003 fundou com amigos o projeto ECHO SOUND SYSTEM – um coletivo de produções com base no dub/ reggae / hip hop e suas vertentes, com participações de MCs brasileiros e estrangeiros. O primeiro single – “Todos Um” – foi lançado em janeiro de 2004 e o álbum ”Tempo Vai Dizer” saiu no comeco de 2006 pela ST2 Records com sucesso de critica e publico. Suas mixtapes de reggae e dancehall – ”Original Fever” e “Uptown Skank” são consideradas um marco na cena brasileira.